segunda-feira, 24 de fevereiro de 2014

Crime e Castigo de Fiódor Dostoievski

Sinopse

Raskólnikov, um estudante pobre e desesperado, vagueia pelos bairros degradados de São Petersburgo e comete um assassínio. A vítima é uma velha usurária. Raskólnikov imagina-se um grande homem, agindo por uma causa que está para além das convenções da lei moral e o coloca acima do comum dos mortais. O seu acto é praticado com uma mistura de sangue frio e exaltado misticismo. Mas quando inicia um jogo do gato e do rato com um polícia, Raskólnikov é cada vez mais perseguido pela voz da sua consciência. Apenas Sónia, uma prostituta, lhe concede a possibilidade de redenção.

O crime de Raskólnikov foi inspirado no assassínio de duas mulheres, com um machado, ocorrido em 1865. Mas, pela mão de Dostoievski, transforma-se numa intensa narrativa, um protagonista desenraizado em busca de afirmação, uma obra em que confluem elementos psicológicos, sociais, éticos e filosóficos.

A obra foi inicialmente publicada por capítulos, em 1866, no Mensageiro Russo.

A Minha Opinião

Escrever uma pequena review de Crime e Castigo não é tarefa fácil. Desde logo porque é um clássico da literatura russa (quase que poderia dizer incontornável) bastante elogiado, mas também porque é uma história verdadeiramente complexa, com personagens que dificilmente poderão ser caracterizadas como lineares e que levanta questões muito pertinentes do ponto de vista moral que não deixam de levar o leitor a ponderar sobre elas. No entanto, deixarei aqui a minha humilde opinião e as impressões com que fiquei ao ler esta obra.

"É a doença que engendra o crime ou é o próprio crime que, pela sua natureza especial, é sempre acompanhado por uma espécie de doença?". Esta é a questão que nos acompanha durante todo o livro e é aquela a que o leitor dedica grande parte da sua atenção. Como justificar o ato de Raskólnikov? Insanidade e miséria aliadas a uma mente perspicaz e a uma certa dose de amor próprio, parecem ter sido os seus motivos. Para além disso, a humilhação sentida pela sua pobreza, o abandono dos estudos por motivos financeiros e a sua tendência para evitar o contacto com a sociedade em geral, levam a que Raskólnikov entre numa espiral de delírios e alucinações que culminam no assassinato de duas mulheres. O próprio admite que não era por uma questão de dinheiro - o pouco que roubou, escondeu e nunca mais lhe tocou -, como mais tarde admite; foi apenas o simples facto de algo o seu código moral lhe conferir uma certa superiodade face às outras pessoas e lhe permitir a prática de um ato tão vil.

Claro que ao longo de toda esta obra Raskólnikov vai processando o que fez e as suas reações vão sofrendo algumas alterações, mas há duas personagens que se mostram essenciais  para o seu desenvolvimento e são elas Sónia, uma jovem prostituta, e Porfiri Petróvitch, juiz de instrução que investiga o duplo homicídio. Devo confessar que os meus momentos preferidos foram, precisamente, os diálogos e despiques entre este juiz e Raskólnikov. Gostei bastante de ver como cada um tentava perceber o que é o que o outro sabia e como tentavam antecipar os passos um do outro. Quanto a Sónia, apesar de ter percebido o quão fundamental foi Raskólnikov, não fiquei particularmente impressionada com ela. Havia algo nela que simplesmente que não me agradou e por isso a sua presença na história pareceu-me apenas tolerável. Por fim, como última personagem a merecer destaque aponto Razumíkhin.  A sua inocencia e credulidade, assim como a forma como se apaixonou pela irmã de Raskólnikov, acabou por dar a sua graça a toda a esta história.

Aponto, no entanto, como ponto negativo deste livro o facto de os nomes serem parecidos e de algumas personagens serem tratadas de diferentes formas, o que fez com a história ficasse meio confusa. O que vale é que no início do livro havia uma lista com todos os nomes e personagens, o que sempre foi uma excelente ajuda.

Em geral, gostei bastante deste livro e da forma como acabei por me deixar envolver por toda esta história. Apesar de reconhecer que pode não ter um estilo que agrade a toda a gente, especialmente por ser muito dado a descrições e de os diálogos nem sempre serem muito frequentes, penso que este é, sem dúvida, um clássico incontornável, principalmente para os fãs de literatura russa. No entanto, e no que diz respeito à obra de Dostoievksi, não creio que esta seja a melhor escolha para primeira leitura. 

A minha classificação deste livro é 4,5 estrelas. Apesar de considerar que é excelente e que tem uma história intensa, que nos leva a reflectir sobre muita coisa e de, em geral, ter gostado bastante desta leitura, confesso que não correspondeu totalmente às minhas expetativas e daí não dar as 5 estrelas.
 

11 comentários:

Jose disse...

Pareceu-me uma opinião muito completa :)
Crime e Castigo já faz parte dos meus planos de leitura... Falta saber quando comprarei uma nova edição (a minha, edição de bolso, já está com algumas páginas soltas) e quando ganharei coragem para pegar nele :P

Jojo disse...

Olá Ana, nunca li este livro e apesar de ter alguma curiosidade, também tenho receio de o ler.
Acontece-me isso com todos os ditos clássicos. Crio expectativas e depois, tenho medo de serem defraudadas.
Mas um dia hei-de o ler!

Beijinhos e boas leituras*

Ana Costa disse...

Obrigado :) Então quando puderes lê que é um livro que vale mesmo a pena.

Jojo, às vezes também fico assim com os clássicos. Há livros que são muito badalados mas depois quando leio fico um pouco desiludida. Mas este vale bem a pena ;)

Bjs e boas leituras :)

paginasencadernadas disse...

Mais um para a wish, para quando tiver coragem de o ler x)

Ana Costa disse...

Vale bem a pena mas às vezes pode ser um verdadeiro desafio ;)

Fiacha disse...

Olá,

grande comentário sem duvida e embora tenha achado o livro muito interessante e complexo sem duvida, penso ser algo descritivo (o que ajuda a aprofundar o enredo e as personagens), penso que se o lê-se neste momento iria ter uma visão algo diferente,

Mas é um livro marcante sem duvida ;)

Bjs e boas leituras

Ana Costa disse...

É realmente um livro descritivo, mas penso que também é por aí que vamos percebendo melhor as personagens e os seus dilemas.

Boas leituras :)

Carolina disse...

Um livro que quero ler, sem dúvida! :D
Mas não será em breve... :/
Gostei muito de ler a tua opinião! Beijinhos e boas leituras!

Ana Costa disse...

Obrigado Carolina ;) é um livro que vale a pena ler

Bjs e boas leituras :)

nuno chaves disse...

Excelente opinião, bem concisa e assertiva....
Parabéns.

Ana Costa disse...

Obrigado :)

Enviar um comentário