segunda-feira, 27 de janeiro de 2014

5 Livros a Ler em 2014

À semelhança do que já tinha publicado a propósito dos autores cuja obra quero descobrir em 2014, decidi também destacar os 5 livros que gostaria de ler este ano. Alguns deles têm estado na minha wishlist já há algum tempo mas, por uma razão ou por outra, acabaram por nunca ser adquiridos. No entanto, irei também indicar alguns livros que são mais recentes e que são, essencialmente, livros que conheci através da comunidade Booktube e que me pareceram bastante interessantes.

Rebecca de Daphne du Maurier



Livro que já mencionei algumas vezes aqui no blog e que quero mesmo muito ler. Para além disso, o facto de a adaptação cinematográfica ser de Hicthcock também tem contribuído para o crescimento do meu interesse nesta história.

Publicado em 1938, Rebecca é talvez o romance por que Daphne du Maurier é hoje mais lembrada. Ao lê-lo entramos numa atmosfera onírica, sombria, alimentada por segredos que os códigos sociais obrigam a permanecer ocultos e que se concentram na misteriosa mansão Manderley. É para esta mansão que a narradora, uma jovem humilde, vai viver com o viúvo Maxim de Winter, ao aceitar o seu pedido de casamento. Mas então descobre que a memória da falecida esposa, Rebecca, se encontra ainda viva e que esta era tudo o que ela nunca será. À medida que o enredo se desenvolve, ela terá de redefinir a sua identidade num cenário em que os sonhos ameaçam tornar-se pesadelos… 

Fahrenheit 451de Ray Bradbury 



Clássico distopiano que já há bastante tempo quero ler. Depois de ter lido 1984 de George Orwell e Brave New World de Aldous Huxley, este parece-me o complemento perfeito à minha lista de clássicos dentro deste estilo.

O sistema era simples. Toda a gente compreendia. Os livros deviam ser queimados, juntamente com as casas onde estavam escondidos... Guy Montag era um bombeiro cuja tarefa consistia em atear fogos, e gostava do seu trabalho. Era bombeiro há dez anos e nunca questionara o prazer das corridas à meia-noite nem a alegria de ver páginas consumidas pelas chamas... Nunca questionara nada até conhecer uma rapariga de dezassete anos que lhe falou de um passado em que as pessoas não tinham medo. E depois conheceu um professor que lhe falou de um futuro em que as pessoas podiam pensar. E Guy Montag apercebeu-se subitamente daquilo que tinha de fazer... De implicações assustadoras, a forma como reconhecemos o nosso mundo naquele que é retratado em Fahrenheit 451 é impressionante.  

Ready Player One de Ernest Cline 



Este é daqueles livros que tem sido muito badalado pela comunidade Booktube e que me deixou bastante curiosa. Não me considero uma geek, por isso não sei se vibrarei muito com as referências culturais, mas o mundo em si parece-me bastante interessante.

It's the year 2044, and the real world is an ugly place.

Like most of humanity, Wade Watts escapes his grim surroundings by spending his waking hours jacked into the OASIS, a sprawling virtual utopia that lets you be anything you want to be, a place where you can live and play and fall in love on any of ten thousand planets.

And like most of humanity, Wade dreams of being the one to discover the ultimate lottery ticket that lies concealed within this virtual world. For somewhere inside this giant networked playground, OASIS creator James Halliday has hidden a series of fiendish puzzles that will yield massive fortune--and remarkable power--to whoever can unlock them.

For years, millions have struggled fruitlessly to attain this prize, knowing only that Halliday's riddles are based in the pop culture he loved--that of the late twentieth century. And for years, millions have found in this quest another means of escape, retreating into happy, obsessive study of Halliday's icons. Like many of his contemporaries, Wade is as comfortable debating the finer points of John Hughes's oeuvre, playing Pac-Man, or reciting Devo lyrics as he is scrounging power to run his OASIS rig.

And then Wade stumbles upon the first puzzle.

Suddenly the whole world is watching, and thousands of competitors join the hunt--among them certain powerful players who are willing to commit very real murder to beat Wade to this prize. Now the only way for Wade to survive and preserve everything he knows is to win. But to do so, he may have to leave behind his oh-so-perfect virtual existence and face up to life--and love--in the real world he's always been so desperate to escape.

A world at stake.
A quest for the ultimate prize.
Are you ready?
It's the year 2044, and the real world is an ugly place.

Like most of humanity, Wade Watts escapes his grim surroundings by spending his waking hours jacked into the OASIS, a sprawling virtual utopia that lets you be anything you want to be, a place where you can live and play and fall in love on any of ten thousand planets.

And like most of humanity, Wade dreams of being the one to discover the ultimate lottery ticket that lies concealed within this virtual world. For somewhere inside this giant networked playground, OASIS creator James Halliday has hidden a series of fiendish puzzles that will yield massive fortune--and remarkable power--to whoever can unlock them.

For years, millions have struggled fruitlessly to attain this prize, knowing only that Halliday's riddles are based in the pop culture he loved--that of the late twentieth century. And for years, millions have found in this quest another means of escape, retreating into happy, obsessive study of Halliday's icons. Like many of his contemporaries, Wade is as comfortable debating the finer points of John Hughes's oeuvre, playing Pac-Man, or reciting Devo lyrics as he is scrounging power to run his OASIS rig.

And then Wade stumbles upon the first puzzle.

Suddenly the whole world is watching, and thousands of competitors join the hunt--among them certain powerful players who are willing to commit very real murder to beat Wade to this prize. Now the only way for Wade to survive and preserve everything he knows is to win. But to do so, he may have to leave behind his oh-so-perfect virtual existence and face up to life--and love--in the real world he's always been so desperate to escape.

A world at stake.
A quest for the ultimate prize.
Are you ready?
 

Unwind de Neal Shusterman


Outro dos livros que conheci através do Youtube e que parece ser o início bastante prometedor de uma série com elementos que, até agora, ainda não encontrei em mais nenhum livro.

Connor, Risa, and Lev are running for their lives.

The Second Civil War was fought over reproductive rights. The chilling resolution: Life is inviolable from the moment of conception until age thirteen. Between the ages of thirteen and eighteen, however, parents can have their child "unwound," whereby all of the child's organs are transplanted into different donors, so life doesn't technically end. Connor is too difficult for his parents to control. Risa, a ward of the state is not enough to be kept alive. And Lev is a tithe, a child conceived and raised to be unwound. Together, they may have a chance to escape and to survive.
 
 

V for Vendetta de Alan Moore


Vi o filme na altura em que saiu e fiquei completamente rendida à sua história. Desde então tenho adiado a compra deste livro pelo simples facto de já conhecer a história, mas a verdade é que quero mesmo muito ler esta graphic novel e compará-la com a adaptação cinematográfica protagonizada por Natalie Portman.


A powerful story about loss of freedom and individuality, V FOR VENDETTA takes place in a totalitarian England following a devastating war that changed the face of the planet.

In a world without political freedom, personal freedom and precious little faith in anything comes a mysterious man in a white porcelain mask who fights political oppressors through terrorism and seemingly absurd acts. It's a gripping tale of the blurred lines between ideological good and evil.

This new trade paperbackedition features the improved production values and coloring from the 2005 hardcover.
 
 

Já tiveram a oportunidade de ler alguns destes livros?

Até ao próximo post e boas leituras :)  

6 comentários:

Jose disse...

Destes só li o Fahrenheit 451 e, embora não me tenha marcado muito, não foi uma má leitura...

Fiacha disse...

Estou mesmo como o José e li várias distopias mas nunca consegui que me agrada-se plenamente e tenho que reconhecer que são excelentes livros.

Penso que é bom termos objetivos, fazermos planos pelo menos tentamos, eu desde que no ano passado tentei ler um livro de escritor de nacionalidade diferente (estava a ser tão fixe) e tive que parar, deixei de ter planos e sigo ao ritmo que me apetecer e dependendo das oportunidades que surjam, embora tenha como objetivo gastar o menos possível em livros, apenas porque tenho imensos por ler e muitos que gostava reler, porque considero que gastar dinheiro em livros é bom, embora estejam caros :P

Bjs e desculpa o testamento :D

Ana Costa disse...

Ola olá :)

José, assim fico já mais moderada quanto às minhas expectativas em relação a esse livro ;)

Fiacha, por acaso este é o primeiro ano em que aposto tanto em objetivos e desafios, mas admito que ao ritmo que leio estas metas acabam por me ajudar a traçar um rumo e a não deixar para trás os livros que mais quero ler. E claro, também contribui para que não gaste tanto dinheiro, porque assim vou apostando mais nos livros que tenho na estante. Pelo menos este ano queria evitar gastar tanto dinheiro quando ainda tenho muita coisa interessante cá por casa que ainda não li.

E testamentos são sempre bem vindos, não te preocupes ;)

Beijinhos e boas leituras :)

Carolina disse...

Nunca li nenhum, mas parecem todos interessante! :D
Boas leituras!! :DD

Catarina R. disse...

Espero que gostes de Rebecca:) Também quero ler o Fahrenheit 451 e o Ready Player one. Adorava ler o V for vendetta mas ainda não o consegui arranjar a um bom preço:P Beijos e boas leituras

Ana Costa disse...

Olá olá :)

O V é um livro um bocado caro, também gostava de o encontrar a um preço mais maneirinho, mas vamos lá ver.

Beijinhos

Enviar um comentário